Bancas de aposta esportiva ilegal “quebram” após prêmios milionários no Brasileirão

Foi só a 13ª rodada do Campeonato Brasileiro acabar, que milhares de torcedores maranhenses viveram momentos de intensa euforia e profunda tristeza. Isso porque uma série de sites e bancas ilegais de apostas esportivas — que viraram febre em várias cidades do Estado desde o ano passado — simplesmente “quebraram” após os resultados da Série A de quarta-feira (12).

Logo que os jogos acabaram, começaram a circular nas redes sociais fotos de cartões vitoriosos de apostas acumuladas — aquelas em que o apostador marca vários possíveis resultados e só ganha o dinheiro se todos eles acontecerem como previsto — nos jogos Ponte Preta x Bahia, Atlético-MG x Santos, Fluminense x Botafogo, Palmeiras x Corinthians, Atlético-PR x Cruzeiro e Vitória x Vasco da Gama. A improvável combinação das cotações de todos os visitantes pagava entre mil e 2.200 vezes o valor apostado, mas foi o que aconteceu: Bahia, Santos, Botafogo, Corinthians, Cruzeiro e Vasco venceram.

Tão rapidamente quanto as manifestações de alegria dos apostadores, porém, áudios de supostos cambistas e operadores das bancas se disseminaram pelo WhatsApp. O tom era quase fúnebre. “Pessoal, não adianta me ligar, me pressionar, mandar mensagem. Já entrei em contato com o dono da banca e ele falou que é impossível pagar. O prejuízo é milionário. Não vai ter condição de pagar. E vocês sabem que é jogo ilegal. Não adianta ir para a Justiça, não adianta fazer nada. Fechou a tampa do caixão”, diz um dos operadores.

A rede de apostas de jogo de azar da Marjo Sport também foi uma das surpreendidas com uma série de apostas milionárias simultâneas em todo o Brasil. O prejuízo é estimado em 22 milhões no geral, segundo o áudio de um dos representantes. Traduzindo: uma saída exorbitante para uma entrada imediata inferior. Muitas bancas acabaram anunciando o fechamento num lapso de desespero com os montantes sorteados. Entretanto, embora reconheça que não estava preparada para uma avalanche financeira dessas, a empresa assegurou que vai efetuar gradativamente os pagamentos dos apostadores, mas é preciso ter calma para esperar eles rasparem os cofres de lucro e “desburocratizar” alguns procedimentos bancários.

Em Poção de Pedras surgiu muitas apostas milionárias. Ganhadores de 42 e 30 mil, sendo que só na cidade chegou-se aos 65 mil pela Marjo. 400 mil com todas as máquinas juntas.

Na noite desta quarta o sistema da Marjo bugou com tantos acessos ao mesmo tempo. Resta aguardar para saber se de fato a empresa vai honrar seus compromissos, ou se quebrou de vez!

“Vocês podem ter certeza: nenhuma banca vai pagar isso. A gente vai ver se faz um acordo para não deixar todo mundo desamparado. Esse jogo acabou hoje. É falência pra todo mundo”, afirma outro funcionário das bancas ilegais.

Apostas esportivas são consideradas jogo de azar no Brasil, o que impede que os sites sejam cadastrados no país. Muitas páginas, entretanto, são registradas aqui, mas em nome de laranjas. Outros empresários do setor optam por driblar a legislação por meio de cambistas que usam tablets e maquininhas de impressão em pontos físicos e de maneira ambulante, oferecendo as apostas em bares e de porta em porta.

Os envolvidos em apostas ilegais podem ser indiciados por crimes como lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta, sonegação fiscal, evasão de divisas e funcionamento de instituição financeira sem autorização do Banco Central, em crimes contra a ordem econômica, tributária e contra as relações de consumo.

Em texto semelhante, a banca Chute Forte, cadastrado no sistema nacional em nome de “Thiago de Luna Campos”, afirma que entrará em contato com os ganhadores “para o posterior agendamento das datas”. Outro site, intitulado BetGol777 e registrado fora do Brasil, afirma que vai parcelar o pagamento dos créditos dos apostadores. “A Bet Gol 777 assume desde já o compromisso de honrar todos os débitos na condição de parcelamento, iniciando com 10% (dez por cento) do valor do prêmio, com programação de quitar todos os valores em dez vezes”, afirma o comunicado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>